Valoração de serviços ecossistêmicos

13/05/2015
COMPARTILHE

Devido a crescente escassez de recursos naturais, torna-se cada vez mais importante que as empresas entendam e dimensionem a importância do capital natural, em especial dos serviços ecossistêmicos, para seus negócios e também para a sociedade. 

Apesar da importância das várias dimensões de valor do capital natural, como seu valor intrínseco (valor que independe de utilidade) e seu valor ecológico (valor relacionado à integridade e resiliência de ecossistemas), a valoração econômica se mostra como um subsídio valioso para a tomada de decisão sobre como internalizá-las. Isso porque esta dimensão de valor se relaciona com a utilidade e bem-estar, sendo mais facilmente mensurada.

Considerando a relevância da valoração econômica para auxiliar a consideração dos serviços ecossistêmicos no processo de tomada de decisão, a TeSE tem como objetivo específico alcançar o MRV para serviços ecossistêmicos, ou seja: a Mensuração (quantificação), Relato e Verificação.

No campo da mensuração, a TeSE, em seu primeiro ciclo de atividades (2013), avançou na construção de ferramentas de apoio à gestão empresarial para valoração de suas vulnerabilidades e impactos sobre o capital natural. Assim, foi desenvolvida a primeira versão das Diretrizes Empresariais para a Valoração Econômica de Serviços Ecossistêmicos (DEVESE), com o apoio da The Nature Conservancy (TNC) e da Conservação Internacional (CI-Brasil).

No ciclo de 2014, a TeSE avançou ainda mais no campo da mensuração através do aprimoramento da DEVESE, o que resultou em sua versão 2.0. Esta nova versão abrange dois novos serviços ecossistêmicos em relação ao ano anterior, totalizando oito serviços (quantidade de água; qualidade da água; assimilação de efluentes; biomassa combustível; regulação do clima global; recreação e turismo; polinização; e erosão do solo), e também vem acompanhada de uma ferramenta de cálculo. Além disso, a TeSE também avançou para o campo do relato, criando as Diretrizes Empresariais para Relato de Externalidades Ambientais (DEREA).

Assim, a TeSE avança cada vez mais no processo de desenvolver estratégias e ferramentas destinadas à gestão empresarial de impactos, dependências, riscos e oportunidades relacionados aos serviços ecossistêmicos. 

 

Diretrizes Empresariais para a Valoração Econômica de Serviços Ecossistêmicos (DEVESE)

Versão 2.0

Ferramenta de cálculo da DEVESE 2.0

Diretrizes Empresariais para Relato de Externalidades Ambientais (DEREA)

 

Eventos 2015

Grupo de Trabalho sobre Serviços Ecossistêmicos de Provisão

Lançamento de diretrizes metodológicas e aprendizados do ciclo 2014