Revista Página22 :: ed. 13 (outubro/2007)

COMPARTILHE

EDITORIAL - Um lugar singular

A Amazônia está em toda parte. No discurso político dentro e fora do Brasil, nas convenções internacionais sobre clima e biodiversidade, nos planos das empresas, no Programa de Aceleração do Crescimento e no imaginário das pessoas do mundo inteiro como a última grande região natural, indomada e misteriosa.

Pouco conhecida, a trama vegetal e urbana urdida pela floresta e pelas cidades amazônicas está prestes a ser desbravada por um grande volume de capital. O que se prevê de investimentos nas próximas décadas, em especial os hidrelétricos e de mineração, equivale à soma de tudo o que foi aplicado na região nos últimos cinco séculos. E está na forma pela qual esses recursos serão aplicados a chave para se preservar a riqueza biológica e cultural da Amazônia.

Nesta edição especial sobre o tema, estão apontadas as principais causas – históricas, políticas e econômicas – do atual processo de exploração da região, que, desde a década de 1970, tem se mostrado devastador. E, com base no conhecimento de grandes estudiosos da questão amazônica, são mostrados caminhos para que não só os empreendimentos se conciliem com a preservação, e ocupem de forma ordenada áreas já desmatadas, mas também façam florescer atividades econômicas voltadas ao que a região tem de singular: os serviços ambientais que presta e os ativos da biodiversidade, com a ajuda de saberes tradicionais e do desenvolvimento científico e tecnológico.

Nas palavras da geógrafa Bertha Becker, a Amazônia é um "lugar de vida". Considerações geopolíticas à parte, uma Nação que não enxerga o tamanho da responsabilidade, e da oportunidade, de cuidar do maior tesouro biológico da Terra — se não do universo — dificilmente saberá conceber um futuro generoso para si mesma. É hora de o Brasil avaliar os erros cometidos na exploração de seus demais biomas e empenhar-se na adoção de um novo modelo para a Amazônia.

Boa Leitura

Acesso à publicação


Mais Lidos

Nenhum post encontrado.