Capacitação em valoração de serviços ecossistêmicos

TeSE promove capacitação no uso das Diretrizes Empresariais para Valoração Econômica de Serviços Ecossistêmicos (DEVESE 2.0) e nas Diretrizes Empresariais para valoração não econômica de Serviços Ecossistêmicos Culturais (DESEC 1.0), com o objetivo de aplicar os resultados na gestão das empresas 18/04/2016
COMPARTILHE

Local: FGV-EAESP

Data: 13 e 14 de abril de 2016 

Iniciativa: Tendências em Serviços Ecossistêmicos (TeSE) 

Participantes: Representantes de empresas-membros e convidados da TeSE 

Texto: Thais Camolesi Guimarães (GVces) 

Para as empresas, torna-se cada vez mais relevante entender o que a natureza fornece para os negócios e se estes valores deveriam ser incorporados nos balanços financeiros. Já para os investidores, cujos principais riscos e oportunidades surgem de seus clientes, é importante entender como as empresas dependem e impactam os bens providos pela natureza.

Nesse contexto, nos dias 13 e 14 de abril, foi realizada a capacitação da TeSE em valoração de serviços ecossistêmicos, que contou com a presença de 15 empresas-membros da iniciativa, de diversos portes e segmentos de atividades. A proposta é preparar as empresas para aplicar as Diretrizes Empresariais para Valoração Econômica de Serviços Ecossistêmicos (DEVESE 2.0), bem como trazer reflexões sobre a importância de se inserir o tema na gestão estratégica das empresas.

A capacitação abordou desde a definição de um escopo relevante para o estudo, passando pela valoração de oito serviços ecossistêmicos, e finalizando com reflexões sobre como inserir os resultados na tomada de decisão. Nessa última frente, refletiu-se sobre uso na gestão de risco empresarial, uso para monitoramento de resultados, estratégias de comunicação e relato dos resultados, entre outros.

Além disso, foi abordado pela primeira vez as Diretrizes Empresariais para valoração não econômica de Serviços Ecossistêmicos Culturais (DESEC), que serão publicadas em agosto. Além de passar pela descrição de todos os passos do novo método, foi realizada uma atividade interativa para sua aplicação com os participantes do encontro.

Sobre a importância do encontro e relevância do tema para as empresas, Luciana Alves, representante do TEEB Regional Local no Brasil, parceiro da TeSE desde 2014, destaca: “Vejo esta capacitação como um importante passo para o engajamento das empresas membro para TeSE desenvolverem seus casos de avaliação e valoração de serviços ecossistêmicos. Com um público maior que do ano passado e visivelmente mais sensibilizado, percebe-se a importância que o tema integração de serviços ecossistêmicos vem ganhando no setor empresarial. Elementos de gestão e a pergunta orientadora com relação à tomada de decisão embasada em análise de serviços ecossistêmicos foram os diferenciais desta capacitação. E observar representantes de pequenas e médias empresas que já participaram ano passado, agora captando mais facilmente a proposta e definindo seus novos estudos com visão de aplicação dos resultados, é bastante motivador”.

Próximos passos – as empresas-membros da iniciativa devem iniciar seus projetos de valoração de serviços ecossistêmicos escolhendo o escopo que irão trabalhar. Ainda, foi apresentada a oportunidade de duas empresas membro interessadas desenvolverem projetos-piloto de aplicação das DESEC. Avançando sobre o olhar estratégico sobre a valoração de serviços ecossistêmicos, em junho será realizada a primeira oficina sobre gestão empresarial de serviços ecossistêmicos. Mais informações sobre o ciclo de 2016 podem ser acessadas na página de atividades da TeSE.

Mais Lidos

Nenhum post encontrado.